"Achei que iríamos voar para fora", diz passageira da TAM

"Nunca mais vou voar de TAM". Foi assim que resumiu a dona de casa Edna Lopes Bezerra, de 39 anos, sua experiência no vôo JJ 3040 da empresa, que perdeu uma porta poucos minutos após a decolagem, na tarde desta terça-feira, em São Paulo.O Fokker 100 decolou do aeroporto de Congonhas às 13h47 com destino a Maceió, com escalas no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, e em Salvador, e retornou à pista após perder a porta dianteira esquerda. O pedaço da aeronave caiu sobre o telhado do supermercado Extra da Avenida Ricardo Jafet, na zona sul de São Paulo.Maria de Lourdes Moreira, de 48 anos, também dona de casa, também disse que nunca mais vai viajar de Fokker 100, "muito menos pela TAM". Ela contou que pensou muito nos filhos na hora do acidente. "Fiquei traumatizada". Outro passageiro, Richard Kocher, de 35 anos, disse ter ouvido um barulho muito forte após a decolagem. "Logo depois, veio a ventania", disse, relatando o momento em que a porta abriu.Kocher contou ainda que uma das comissárias que estava no avião "ficou toda descabelada, se segurando para não cair do avião. Foi uma cena horrorosa", disse. "Foi igual cena de filme", contou Edna, que ia para Maceió passar férias, mas desistiu de embarcar novamente. "Eu pensei que ela fosse sumir", disse a passageira, ao descrever a cena. Segundo Edna, a comissária, que estava sentada perto da porta, ficou o tempo todo olhando para baixo e se segurando no assento. "Os cabelos dela voavam muito e ela gritava por socorro. A impressão era de que iríamos voar para fora", contou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.