Acidente com balão: corpos devem chegar ao Brasil em uma semana

Previsão é do embaixador brasileiro na Turquia, Antonio Salgado; seis brasileiros continuam internados

24 Maio 2013 | 14h00

O embaixador do Brasil na Turquia, Antonio Salgado, disse à Agência Brasil nesta sexta-feira, 24, que os corpos das três turistas brasileiras mortas no acidente com o balão na Capadócia, no dia 20, devem chegar ao País em uma semana. A demora, afirma Salgado, que passou os últimos dias na Capadócia, se deve ao processo de liberação de documentos por parte das autoridades turcas.

"Há vários procedimentos que devem ser cumpridos, daí a espera. Talvez leve, no máximo, mais uma semana para ser resolvido. O governo turco deve emitir a certidão de óbito e a Embaixada do Brasil fará uma declaração. Depois disso, as autoridades turcas emitem o termo de recebimento. A embaixada não tem responsabilidade no processo de custeio", afirmou à Agência Brasil. 

Seis brasileiros continuam internados, segundo o embaixador. "Foram sete brasileiros feridos, dos quais seis permanecem internados. Conversei com os médicos e os brasileiros estão sendo bem assistidos. Mas deverão ficar aqui por algum tempo até terem condições de viajar para o Brasil", disse.

O choque. O acidente aconteceu por volta de 6h de segunda-feira, 20, horário local, nas imediações do vilarejo histórico e turístico de Göreme, na província de Nevsehir, região central da Turquia.

De acordo com testemunhas, o balão no qual estavam os turistas brasileiros se chocou minutos após a decolagem com o cesto de outra aeronave. Com seu "envelope" de lona furado, o balão caiu de uma altura de 300 metros. Nos últimos 50 metros, esvaziado, o tombo se acelerou e intensificou o impacto com a terra. Maria Luiza Gomes, de 71 anos, Marina Rosas, de 65 anos, e Ellen Kopelman, de 76 anos, que moravam no Rio, morreram.

A Direção-Geral de Aviação Civil (DHGM) da Turquia abriu investigação para apurar as causas do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.