Acidente de avião mata 24 em Manaus e buscas são suspensas

Apenas quatro pessoas foram resgatadas com vida e uma estaria desaparecida; 28 pessoas estavam na aeronave

Carolina Freitas, da Agência Estado, e Mônica Aquino, do estadao.com.br,

08 Fevereiro 2009 | 10h41

As equipes de resgate suspenderam as buscas do Rio Manacapuru, próximo da Ilha de Monte Cristo, em Manacapuru (AM), onde um avião Bandeirante caiu na tarde do sábado, 7. Os trabalhos foram interrompidos às 11 horas, depois que 24 corpos foram retirados do rio, segundo informações da Defesa Civil. Apenas quatro pessoas sobreviveram, entre elas uma criança; pelo menos 28 pessoas estavam a bordo.   As buscas haviam sido retomadas no começo da manhã deste domingo, 8, e os bombeiros trabalhavam com a hipótese de uma mulher estar desaparecida. Testemunhas do acidente teriam visto uma mulher se jogar no rio, segundo informações do Corpo de Bombeiros.   As buscas haviam sido suspensas na noite do sábado devido às fortes chuvas que atingem a região. Nove mergulhadores estão no local e buscam mais vítimas do acidente aéreo. O avião ainda não foi tirado do rio, segundo o Corpo de Bombeiros. A suspeita é que o acidente tenha sido causado por excesso de peso, já que sua capacidade era para 24 passageiros.   O acidente   O avião Bandeirante (Emb 110), de prefixo PT-SEA, caiu por volta das 15 horas no Rio Manacapuru, próximo da Ilha de Monte Cristo, em Manacapuru (AM). Apenas quatro sobreviventes foram encontrados até o início da noite, entre eles uma criança. Os demais passageiros, o piloto e o copiloto ficaram presos dentro do avião, a 5 metros de profundidade. Para a Aeronáutica, houve pane em um dos motores e o comandante tentou pousar o avião no rio, a 500 metros da pista de um aeroporto.   O voo seguiria de Coari para Manaus (a uma hora de distância) e foi fretado pela empresa Manaus Táxi Aéreo. A queda ocorreu no meio do caminho, mais precisamente na área de uma comunidade chamada Santo Antônio, logo após o piloto entrar em contato com a torre do Aeroporto de Manaus e informar que voltaria para Coari por causa da forte chuva e da pane. Neste momento, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo da capital amazonense (Cindacta-4) perdeu contato com a aeronave.   Passageiros   Segundo o 1.º sargento do Corpo de Bombeiros de Manaus, Marimar Machado Marques, e a assessoria de imprensa da Manaus Táxi-aéreo, havia 24 pessoas a bordo (18 adultos, quatro crianças e dois tripulantes).  Por outro lado, o assessor de comunicação Paulo Roberto disse que as informções sobre os ocupantes da aeronave foram  baseadas na lista do frete, mas que a confirmação sobre quem realmente embarcou será fornecida a partir do meio-dia deste domingo, considerando-se que pode ter ocorrido desistências.   O piloto César Griger, gaúcho, 46 anos, tinha mais de 20 anos de atividade, sendo 6 apenas nesta empresa. Antes de trabalhar como piloto comercial, ele foi piloto da Força Aérea Brasileira. O co-piloto era Denilson Cilino Aires da Silva, amazonense, 23 anos, há 6 meses na empresa. Tinha aproximadamente 3 anos de experiência como co-piloto.   Sobreviventes   Foram resgatados com vida Ana Lúcia Reis Livrária, de 43 anos; Brenda Dias Moraes, de 21; Eric Evangelista da Costa, de 23; e Ian, de 9 anos. Não havia informações sobre os outros passageiros e suas condições de saúde.   Após a divulgação da notícia do acidente, dezenas de pessoas se aglomeravam em frente ao guichê da Manaus Táxi-aéreo, localizado no terminal 2 do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em busca da lista oficial de passageiros. Mas como o voo era fretado, a empresa enfrenta dificuldades para liberar essas informações.   Texto ampliado às 12h20 para acréscimo de informações. var keywords = "";

Mais conteúdo sobre:
acidente avião AM resgate crise aérea Manaus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.