Acidente é a primeira causa de morte entre crianças

Especialistas afirmam que informação e bom senso evitariam a maioria das tragédias

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

14 Julho 2009 | 00h00

Os acidentes ocupam o primeiro lugar entre as causas de morte de crianças entre 1 e 14 anos em todo o mundo. Uma média feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) indica 97,9 óbitos por 100 mil habitantes. No Brasil, o levantamento mais recente do Sistema Único de Saúde (SUS) registrou a hospitalização de 137 mil crianças e a morte de 5.520, em 2006. No País, o problema passou a chamar mais atenção a partir de 2002. Até essa data, as disfunções respiratórias eram as campeãs entre as causas de morte. "Surgiram recursos para tratá-las, enquanto os acidentes continuaram crescendo", diz Renata Waksman, presidente do Departamento Científico de Segurança da Criança e Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria. "Além da falta de informação, os pais encaram o acidente como uma fatalidade", afirma Renata. "Deus quis assim é a expressão que mais ouvimos." Bom senso e informação são as principais armas de combate aos acidentes. "Não dá para admitir que uma criança morra porque havia um móvel na janela, que serviu de apoio para que ela subisse ali." Queda é a quinta causa de mortes; acidentes de trânsito, a primeira. Segundo a ONG Criança Segura, 90% dos acidentes poderiam ser evitados com algumas precauções. "Os pais precisam ser informados sobre a evolução do crescimento da criança para então se antecipar às ações nocivas mais comuns", diz Alessandra Françóia, coordenadora nacional da ONG. "Sabe-se que até quatro anos ela coloca tudo na boca. Produtos de limpeza, medicamentos, venenos, objetos pequenos são algumas das coisas que devem ficar longe do alcance." Pioneira no País, a empresa Amiga da Mamãe (www.amigadamamae.com.br) tem um serviço de vistoria de ambientes. "Indicamos as adaptações necessárias no espaço para a segurança da criança", diz a enfermeira Adriane Wielewski Fernandes, de 34 anos, dona da empresa. "Também damos dicas, como checar os brinquedos com frequência. O olho da boneca pode estar meio solto e ser levado à boca." A Criança Segura lançou premiação para escolas e educadores com projetos no assunto para estimular a formação de pais e filhos. A inscrição vai até amanhã (www.criancasegura.org.br.)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.