Acidente em barragem na Paraíba mata 7 pessoas

O governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima, disse nesta manhã que é muito grave a situação na região do município de Alagoa Grande, no interior do Estado, em razão do rompimento da Barragem de Camará. Segundo ele, a barragem é de concreto, foi inaugurada há cerca de três anos, teve problemas na sua fundação e acabou cedendo. Cunha Lima informou que há milhares de pessoas desabrigadas e casas destruídas, além das moradias que foram levadas pela enxurrada. Segundo ele, até o momento, já estão confirmadas sete mortes.Em entrevista, por telefone, à Rádio CBN de São Paulo, o governador declarou que a situação na área é devastadora e que toda a Defesa Civil do Estado, ao lado da prefeitura local, estão empenhadas para tentar minimizar o quadro."Estou fazendo contatos com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e já fiz contato com a Defesa Civil Nacional e com o ministro Ciro Gomes para que nós possamos somar esforços e ajudar as inúmeras famílias que estão desabrigadas. O clima é devastador porque vocês imaginem o que é uma barragem com 17 milhões de metros cúbicos de água que vaza e arrasta pessoas, carros, animais e tudo o que aparece na sua frente. A nossa preocupaçäo agora é com outros municípios e a cidade de Araçagi porque as águas chegarão à barragem de lá e nós temos de evitar danos maiores".Cássio Cunha Lima se mostrou inconformado com o fato de uma barragem construída há apenas três anos ter um problema como esse. "É muita irresponsabilidade! Nós vamos ter de apurar para saber quem construiu essa obra porque não é possível que hoje, em pleno século 21, tenhamos problemas dessa natureza. São vidas que se perdem e pessoas que ficam desabrigadas pela irresponsabilidade do setor público que não consegue construir direito uma barragem de concreto. O que nós estamos vendo são cenas lamentáveis".

Agencia Estado,

18 de junho de 2004 | 10h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.