Acidente entre ônibus e carreta deixa 14 mortos em Minas

Um acidente, ocorrido no final da noite de sexta-feira, 21, envolvendo um ônibus e uma carreta na BR-381, que liga Belo Horizonte a Governador Valadares, no leste de Minas Gerais, deixou 14 mortos e pelo menos 32 feridos. As causas ainda são desconhecidas, mas a Polícia Rodoviária Federal (PRF) acredita que um dos motoristas tenha dormido ao volante, invadido a contramão e batido de frente no outro veículo. Os feridos foram atendidos em hospitais municipais de Ipatinga, Coronel Fabriciano e Timóteo. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), de Ipatinga, para reconhecimento.O ônibus, da viação São Geraldo, partiu da cidade de Mossoró, no interior do Rio Grande do Norte, com destino a Piracicaba, no interior paulista. Na altura do quilômetro 228, em Santana do Paraíso, na região do Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, o ônibus bateu na carreta, carregada com balas e chocolates, que seguia no sentido Ipatinga/Governador Valadares. O ônibus transportava 53 passageiros, sendo 45 adultos e oito crianças. O motorista do ônibus, Valdeir Paulo da Silva, e o da carreta, Marcelo Marcelino da Silva, morreram no local do acidente. Do total de vítimas, 12 morreram no local e duas no hospital de Ipatinga. Entre os feridos, dois ainda estão em estado grave, incluindo uma criança. "O trecho, apesar de sinuoso, não tem histórico de acidentes graves", disse o chefe da PRF na região, Leonardo Garcia de Castro. Apesar de a PRF não ter confirmado as causas do acidente, motoristas que passavam pelo trecho na hora da colisão contaram que o motorista da carreta teria perdido o controle da direção em uma curva e capotado o veículo. O ônibus, que vinha na direção contrária, não teve como parar e bateu de frente no caminhão. Por causa do acidente, uma das pistas da BR-381 ficou interditada até o final da manhã de sábado, comprometendo o trânsito na região. "Ainda não temos como precisar as causas do acidente, nem como confirmar as versões. Vamos aguardar a finalização do trabalho da perícia", concluiu o chefe da PRF.Matéria atualizada às 13h00

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.