Acidente fere duas crianças em parque no Rio

Duas crianças ficaram feridas - uma delas gravemente - em conseqüência da queda do brinquedo conhecido como Aero-Trem, de uma altura de cerca de sete metros, no Parque da Mônica, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, na tarde deste sábado. A vítima mais grave é Kinda Bernardo Santos Leite, de 10 anos, que, de acordo com o comandante do Grupamento Marítimo, Marcos Silva, fraturou o fêmur e teve traumatismo no abdome. A outra criança ferida, Júlia Rulff Perez, de 8 anos, teve escoriações sem gravidade. No início da noite, ambas foram transferidas para o hospital Barra D´ Or.O arquiteto Celso Leal, que estava com os dois filhos no parque, informou que no momento do acidente o parque de diversões e o trem estavam lotados, na maioria com crianças até 10 anos. Leal explicou que uma estrutura que prende trilhos do brinquedo ao teto se rompeu. "O trem foi caindo não em queda livre, mas aos poucos, com trilho e tudo", informou. Ao todo, em conseqüência do acidente, 17 pessoas foram socorridas, mas só Kinda e Júlia necessitavam de maiores cuidados médicos: a maioria sofreu pequenos ferimentos e crises nervosas.Júlia Carvalho, que estava com um grupo de 18 pessoas comemorando o aniversário de 8 anos da neta Juliana, disse que viu o trenzinho cair em cima do brinquedo conhecido por Bate-Bate. Ela observou que uma menina ficou presa embaixo do trem.Diego Carvalho Ribas, de 9 anos, disse que se assustou muito e que as crianças entraram em pânico. "Foi uma correria porque o perigo é que esse trem roda em cima da cabeça das pessoas", afirmou.A administração do Parque da Mônica informou através de uma nota que o acidente ocorreu por volta das 16h, e que as duas crianças que ficaram feridas foram imediatamente socorridas. A administração informou também que o parque ficará fechado até que as causas da queda sejam apuradas. Segundo o parque, foram tomadas todas as ?providências para que as pessoas tenham o atendimento necessário?.Testemunhas informaram que, no momento do acidente, houve correria, pânico e muita gritaria.Alguns freqüentadores se queixaram que, ao tentar sair, foram levados por funcionários do parquepara uma saída que estava bloqueada por uma betoneira. Segundo eles, alguns funcionários pareciammais desesperados que os clientes. Freqüentadores contaram que, após a queda, muita gente correupara levantar o trem e resgatar Kinda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.