Acidentes matam 49 nas estradas de Minas

Em SP, engavetamento na Rodovia Ayrton Senna feriu 11 pessoas na madrugada de ontem

Luiz Carlos Silva, Belo Horizonte, O Estadao de S.Paulo

29 de dezembro de 2008 | 00h00

Imprudência, desconhecimento das vias e muita chuva são as causas apontadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) para o impressionante número de 49 mortes registradas nas estradas que cortam Minas, do dia 20 até ontem. Os dados não incluem um bebê de 3 meses que morreu na sexta-feira quando era atendido pelos bombeiros na BR-381 - vítimas que morrem enquanto são socorridas não são incluídas no balanço. "As estradas de Minas servem como passagem para vários destinos do País", disse o inspetor Aristides Júnior, da PRF. "A falta de conhecimento dos motoristas de outros Estados que passam pelas rodovias mineiras, aliada à imprudência, é o fator principal para o grande número de mortes. Isso sem falar nas chuvas." A PRF afirmou não ser possível comparar esses dados aos do ano passado. Isso porque a operação de 2007 foi dividida entre Natal e réveillon. A deste ano é conjunta e só termina no dia 4. No Rio Grande do Sul, do Natal até a noite de ontem, foram 20 mortos em acidentes.SÃO PAULOEm São Paulo, na madrugada de ontem, a pista sentido capital da Rodovia Ayrton Senna ficou parcialmente bloqueada desde a 0h30, na altura do km 14, em Guarulhos, em razão de um engavetamento de cinco veículos. Onze pessoas ficaram feridas - duas em estado grave. Já a Raposo Tavares chegou a ficar totalmente interditada ao meio-dia, por causa de um acidente com uma moto no km 22, região de Cotia. Uma das duas vítimas teve de ser socorrida pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar. Por causa da interdição, houve congestionamento de mais de três quilômetros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.