Acidentes no Vale do Paraíba já mataram 4 pessoas

Três acidentes graves ocorreram na região do Vale do Paraíba na manhã desse sábado, provocando a morte de quatro pessoas e deixando outras 11 feridas. Nenhum deles, no entanto, aconteceu nas estradas estaduais que ligam o Vale do Paraíba ao Litoral Norte, nas quais, apesar do tráfego intenso, não houve ainda registro de acidente. Pela manhã, por volta de 8h, em São José dos Campos, uma carreta do tipo "cegonheira", tombou matando uma pessoa e deixando outras duas feridas gravemente. As vítimas e duas outras pessoas, que sofreram apenas escoriações, eram da mesma família e passeavam de bicicleta pelo local.O segundo acidente aconteceu no quilômetro 116 da rodovia Dutra, em Taubaté, quando um Vectra com seis pessoas, perdeu o controle e caiu numa ribanceira, a mais de dez metros de altura. O acidente causou a morte de Leonardo Costa Lima e Marco Antonio Ferreira, passageiros do Vectra, e deixou quatro feridos, entre os quais uma criança de onze meses. Na rodovia que liga Lorena a Canas, no Vale Histórico, uma mulher morreu ao ser arremessada para fora do carro e duas outras ficaram feridas. O acidente ocorreu porque, ao se desviar de um ciclista, o motorista do carro perdeu o controle e foi parar próximo a uma linha do trem, que passa no local. Por volta das 13h, o movimento na rodovia dos Tamoios era de 1,6 mil carros por hora, número abaixo da previsão do DER - Departamento de Estradas de Rodagem - de cerca de 2.000 carros por hora. O comandante da Polícia Rodoviária, em São José dos Campos, capitão Milton Michelazzo, disse que 250 homens e 85 viaturas foram mobilizados para garantir tranqüilidade aos turistas, na Operação Finados. Na rodoviária de São José dos Campos, por onde devem circular cerca de 15 mil pessoas até domingo, o embarque de passageiros era intenso até o início da tarde, conforme informou a empresa Socicam, que administra o terminal. Desde quinta-feira, as empresas já estavam disponibilizando 17 horários extras, principalmente para o Sul de Minas, São Paulo e Litoral Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.