Ações do ''abril vermelho'' devem mobilizar 15 mil famílias de sem-terra no Estado

Ações do ''abril vermelho'' devem mobilizar 15 mil famílias de sem-terra no Estado

MATO GROSSO DO SUL

, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2010 | 00h00

A movimentação de sem-terra nos quase 50 acampamentos preocupa os produtores rurais de Mato Grosso do Sul. Desde a semana passada, as barracas estão tomadas pelas famílias. O Movimento dos Sem-Terra (MST) e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura estimam que há 15 mil famílias na região. As entidades que representam os agricultores no Estado temem as consequências das ações do chamado "abril vermelho", prometido pelos sem-terra. Integrante da Federação da Agricultura Familiar, Paulo César Farias afirma que a reforma agrária em Mato Grosso do Sul está parada. "Desde o fim do ano passado não há perspectivas de novos assentamentos", diz. "Os imóveis entregues aos sem-terra ainda não têm infraestrutura. O pessoal armou barracas de lona plástica dentro das fazendas e, agora, estão aguardando o governo liberar os créditos de habitação." Segundo ele, uma das ações do "abril vermelho" será pressionar o Incra para regularizar a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.