"Acorda para morrer de olhos abertos"

O pintor de paredes Raimundo Nonato de Santana da Silva, de 22 anos, confessou ter matado a facadas, na madrugada desta segunda-feira, o próprio pai, o pedreiro José Maria Marques da Silva, de 51 anos. O assassinato aconteceu na residência da família, construída em regime de mutirão, no bairro Granja Portugal, periferia de Fortaleza.Preso uma hora depois, Raimundo Nonato relatou, no 12º Distrito Policial, detalhes da tragédia e se justificou dizendo que o pai batia muito nele e na mãe. De acordo com a delegada do 12º Distrito Policial, Lindalva Lima, o assassino disse não estar arrependido e demonstrou frieza.Raimundo Nonato afirmou em entrevistas neste domingo à noite que se armou com uma faca com o propósito de matar um antigo desafeto. Não o encontrando, voltou para casa e abordou o pai, que estava sozinho, dormindo em uma rede. ?Acorda para morrer de olhos abertos?, disse o assassino ao abordar o pai, desferindo várias facadas nele.

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2002 | 17h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.