Acordo vai empregar ex-presos na Copa

O ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), anunciou ontem um acordo que vai permitir a utilização de mão de obra de ex-presidiários nas obras públicas necessárias à realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Ontem, ele participou do lançamento do projeto Justiça Célere e Humanitária, promovido pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. O projeto visa a acelerar o julgamento de processos, por meio de mutirão judiciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.