Acordos não cumpridos

No dia 3 de março entrei em contato com a Embratel, pois a empresa me cobrava ligações internacionais que não foram completadas. Fui atendido por três funcionárias e a última disse que a empresa estornaria a cobrança e que o vencimento da fatura seria no dia 17. Entretanto, no dia 10, às 23 horas, encontrei na caixa de correio uma carta com a conta corrigida com o vencimento no mesmo dia. Telefonei de imediato à empresa. Fui mal atendido por mais três atendentes, como também pela supervisora. Todos propuseram que eu pagasse a conta vencida para depois me isentar da multa. Como da outra vez os funcionários da Embratel não honraram com a palavra, neguei-me a pagar essa conta. A supervisora somente queria falar, sem ouvir, e nada resolveu. O site da Embratel só aceita reclamações de até 500 caracteres, por isso rogo à Coluna que repasse a queixa à empresa, já que os números de protocolos recebidos de nada adiantam e o desrespeito ao consumidor continua. Reconheço que fiz as ligações e que tenho de pagar R$ 68,49, mas o mínimo que se espera é que a Embratel envie a conta com tempo hábil para ser paga, e não no dia do vencimento e fora do horário de funcionamento da rede bancária. De qualquer forma, não pretendo mais utilizar os serviços da Embratel, pois tentam nos roubar em ligações não completadas e os funcionários são grosseiros e não cumprem acordos. A empresa deveria repensar o tratamento que oferecido aos clientes que pagam as contas em dia.FERNANDO ARANHA FRÓESSão PauloA Embratel respondeu que já encaminhou uma fatura com nova data de vencimento.Cobrança indevidaDescobri, no ano passado, que estou pagando um valor de IPTU maior que o resto do meu condomínio. Enquanto eu pagava R$ 316,81, os outros apartamentos pagavam R$ 298. Em abril de 2008, fui até a Prefeitura e entrei com um processo solicitando a verificação dessa diferença. A partir dessa data, todo o mês eu telefonava no número que me haviam passado para acompanhamento e era informado de que o processo estava pronto, só faltando assinatura da chefia para despacho. Mas só no final de setembro, 9 meses depois, recebi em casa uma carta falando que o processo tinha sido concluído e que a área construída foi alterada para o valor correto. Porém, quando recebi a cartela do IPTU de 2009, verifiquei que continuo pagando um valor maior que o restante do condomínio. Tive de abrir outro processo na Prefeitura. Para cobrar dos contribuintes a Prefeitura não perde tempo, já para arrumar uma cobrança errada de imposto...SALO DAYANSão PauloA Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Finanças informa que, após levantamento feito pela secretaria, foram tomadas as devidas providências para a correção das informações na base de dados referente ao imóvel. Desse modo, o munícipe receberá uma nova Notificação de Lançamento (NL) do IPTU 2009 com a devida correção no valor do IPTU. Caso tenha pago imposto a maior, o contribuinte será reembolsado por meio de Devolução Automática de Tributos.Pobreza no centroNo centro de São Paulo, no entorno da Estação de Metrô Pedro II, do Fura-Fila, moradores de rua construíram "casas" de tábuas divididas até mesmo por cômodos. A sujeira do local é bem visível no caminho até o terminal. Acredito que a Subprefeitura da Sé já teve conhecimento do problema, mas nada foi feito até hoje. JANE SOUZASão PauloA Subprefeitura da Sé não respondeu.As condições das vias Antes de introduzir o programa de inspeção veicular, o poder público deveria oferecer um serviço digno que permitisse ao motorista trafegar com segurança. Pagamos o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), porém, as péssimas condições das ruas de São Paulo causam danos aos carros e seus proprietários têm de consertá-los para poder transitar de acordo com a lei ou pagam multas. Para mim, os carros zero-quilômetro deveriam ter, ao menos, dois anos de carência para depois passar por essa inspeção. Também deveria haver uma parceria com as cidades vizinhas, já que, em determinados horários, os carros de outros lugares são a maioria nas ruas. Tenho um carro de 2004 e acho que ele se enquadra nessa inspeção, mas não me conformo com a falta de planejamento e coordenação das autoridades.ROBERTO DOLLERERSão PauloA Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA) não respondeu.As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

, O Estadao de S.Paulo

30 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.