Acusada de ataque a ônibus é reconhecida em julgamento

Duas testemunhas de acusação reconheceram nesta segunda-feira, 4, Sheila Messias Nogueira como uma das pessoas que atacaram o ônibus 350, em Brás de Pina (zona norte do Rio), em novembro do ano passado. Os criminosos incendiaram o veículo e mataram cinco passageiros, entre elas um bebê. Outras 16 vítimas ficaram feridas. Sheila responde pelos cinco homicídios e 16 tentativas de homicídio.O julgamento de Sheila, o terceiro relacionado ao caso, começou às 11h30, com duas horas e meia de atraso, no 2º Tribunal do Júri da Capital. A previsão era de que a sessão se estenderia até a madrugada desta segunda. No mês passado, o traficante Anderson Gonçalves dos Santos, o Lorde, e o líder comunitário Alberto Maia da Silva foram condenados, respectivamente, a 444 anos e seis meses e a 309 anos e cinco meses de reclusão pelo mesmo crime.Ao ser interrogada nesta segunda, Sheila optou pelo silêncio e não respondeu a nenhuma pergunta. Em seguida, foi reconhecida pelas duas testemunhas como a mulher que fez sinal para o ônibus parar e invadiu o coletivo. Elas disseram que Sheila era uma das pessoas mais exaltadas durante a ação dos criminosos.Nesta segunda, uma testemunha da defesa não compareceu. Sheila está sendo representada pelo defensor público Marcelo Machado da Fonseca. Pela acusação atua o promotor de Justiça Ricardo Abdenur. O presidente do júri é o juiz Luiz Noronha Dantas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.