Acusada de matar empresário em motel vai a júri popular no Rio

Segundo Ministério Público, vítima teria ficado inconsciente após ingerir tranquilizantes e antidepressivos

Priscila Trindade, estadão.com.br

30 Setembro 2011 | 17h24

SÃO PAULO - A 3ª Vara Criminal de Niterói determinou que Verônica Verone, acusada de matar o empresário Fabio Gabriel Rodrigues Barbosa, dentro de um motel, em Itaipu, irá a júri popular pelo crime de homicídio triplamente qualificado consumado. A vítima morreu asfixiada no dia 14 de maio deste ano.

Segundo o Ministério Público, o empresário teria ficado inconsciente após ingerir tranquilizantes e antidepressivos ministrados por Verônica. Ainda de acordo com o MP, o crime teria sido praticado por motivo torpe, meio cruel e por recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Para o juiz Peterson Barroso Simão, a autoria da conduta ficou comprovada pelas provas colhidas na fase policial e nos depoimentos prestados em juízo, inclusive no interrogatório da acusada.

O juiz, no entanto, impronunciou Verônica pelo crime de ocultação de cadáver. "Ela resolveu deixá-lo na garagem do motel, local de circulação de funcionários, onde poderia ser facilmente encontrado, como de fato ocorreu", destacou. O magistrado também manteve a prisão cautelar de Verônica.

Mais conteúdo sobre:
motel júri popular Rio empresário

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.