Acusada de tráfico de bebês é presa em Franca

O juiz substituto da Vara da Infância e da Juventude de Franca, Rogério Tiago Jorge, concedeu hoje o mandado de prisão preventiva de Cleusa Maria do Nascimento, de 51 anos, acusada de tráfico internacional de bebês. Ela foi levada para o Presídio Feminino de São José da Bela Vista. A polícia ainda tenta identificar o bebê, do sexo masculino, de cerca de 6 meses, que estava em poder de Cleusa, na noite de segunda-feira (01), na rodoviária da cidade, quando ela tentava embarcar, alegando que queria adotar o bebê.A polícia já tem pistas de que ela poderia ter participado de outras transações de bebês, levando-os para a Itália. O delegado do 1.º Distrito Policial, Eduardo Bonfim, disse que quando Cleusa foi presa ontem, em Itirapuã, foram encontradas contas telefônicas com ligações para a Itália e extratos de depósitos e saques bancários com valores acima de R$ 10 mil. O contato dela na Itália seria o auxiliar de enfermagem Luís Carlos Ramielli, que morava em Franca e tem passagem pela polícia por apropriação indébita. Para esclarecer essa ligação, Bonfim deverá contatar a Embaixada Italiana, em São Paulo, na terça-feira.Outra linha da investigação envolve o rapto do bebê Felipe Francisco Lopes, no terceiro dia de vida, em 20 de abril de 2001, no Hospital Guilherme Álvaro, em Santos. Naquela oportunidade, uma suposta enfermeira falou à mãe que levaria o bebê para uma radiografia. A mãe permitiu porque a criança tinha nascido com fratura na clavícula. Depois disso, não mais viu o bebê. Bonfim disse que a descrição da enfermeira, através de retrato falado, é parecida com Cleusa. Além disso, ele investigará se, naquele período, Ramielli estaria trabalhando no hospital da Baixada Santista.Bonfim acrescentou que Cleusa teria tentado comprar uma criança numa cidade perto de Franca nos últimos dias. A mãe tem outras crianças e Cleusa ofereceu enviar o bebê para a Itália. Outro implicativo de que o bebê que está sob custódia da Curadoria da Infância e da Juventude de Franca seria vítima de tráfico é que a suposta mãe é uma prisidiária. Ela teria deixado o bebê aos cuidados de Maria Aparecida da Silva Lima, na Liberdade, em São Paulo, que o deixou com Cleusa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.