Acusado de chacina em Minas é condenado a 240 anos de prisão

João Paulo dos Reis foi condenado por homicídio triplamente qualificado por sete mortes em 2007

Solange Spigliatti, Central de Notícias

25 de agosto de 2010 | 17h57

SÃO PAULO - Um dos oito acusados da chamada 'chacina de Neves', em Minas, ocorrido em setembro de 2007, quando sete pessoas morreram, foi condenado nesta terça-feira, 24, a 240 anos de reclusão em regime inicial fechado.

 

João Paulo dos Reis Avelino foi condenado por homicídio triplamente qualificado pela morte das sete pessoas e por tentativa de homicídio contra outras 19 vítimas. Ele foi condenado também por formação de quadrilha e corrupção de menor.

 

A chacina aconteceu na madrugada do dia 9 de setembro de 2007, durante uma festa em um sítio em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Justiça, o motivo do crime foi disputa por tráfico. Os crimes foram cometidos por oito homens, que invadiram a festa encapuzados e armados. As vítimas tinham entre 13 e 27 anos.

 

Segundo a Justiça, também foram denunciados pela chacina outras seis pessoas e um menor. Alguns deles já foram condenados e outros aguardam julgamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Minas Geraischacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.