Acusado de degolar a avó tenta se matar e acusa o próprio tio

O adolescente B.S.C.E., de 16 anos, suspeitode ter degolado a avó em Volta Redonda, no sul fluminense, negou o crime e acusou otio, Lamartine da Silva Costa, de 36, em depoimento nesta quarta-feira ao Ministério Público Estadual. Segundo a polícia, ele disse que Costa era o único que estava na casa nahora do crime, ocorrido na manhã desta quinta-feira.Na delegacia, enquanto aguardava escolta para ser levado à carceragem, B. tentou se matar com uma pistola, mesmo algemado, de acordo com a polícia. O adolescente, que seria viciado em cocaína, teria se aproveitado da distração de um policial e pego uma arma que estava dentro de uma gaveta.Ele a apontou contra a cabeça, mas acertou umtiro de raspão no nariz. Antes de depor, ele havia passado o dia internado, em estado de choque, segundo a inspetora Luzia Machado.A polícia informou ainda que um vizinho do jovem, que morava com a avó Tereza Lucas da Silva Costa, de 59 anos, e com o tio, viu quando elecarregava em um saco plástico a cabeça de Tereza. A cabeça decepada teria sido jogada no Rio Paraíba do Sul, próximo à casa deles, e não havia sido encontrada até o fim da tarde desta sexta.Nesta sexta à tarde, a mãe de B., Beatriz da Silva Costa Eiselt, que mora na Alemanha,chegou para o enterro de Tereza, no cemitério Portal da Saudade, em Volta Redonda. Ela é casada com o engenheiro químico alemão Jurgen Anton Kurt Eiselt, que adotou B. quando ele era bebê.Beatriz não quis dar declarações e disse que só falaria depois da missa de sétimo dia. Após o crime de quinta-feira, o rapaz foi submetido a um exame toxicológico para verificar se estava sob o efeito de drogas no dia em que a avó foi assassinada.A polícia informou que o resultado do teste deverá sair na próxima semana. B. foi encaminhadoao Instituto Padre Severino, que abriga menores infratores no Estado.Segundo a Secretaria da Saúde de Volta Redonda, o adolescente teve passagens na polícia por tráfico e uso de drogas desde 2000, além de agressão à tia Solange da Silva Costa, de 38 anos. Ele estava morando com a avó havia dois meses porque tinha problemas de relacionamento com a mãe na Alemanhã, segundo a polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.