Acusado de furto ao BC diz que foi torturado

A defesa de Marcos Rogério Machado de Morais, apontado com um dos líderes da quadrilha que furtou R$ 164,7 milhões do Banco Central de Fortaleza, em 2005, afirma que ele foi torturado e espancado por agentes penitenciários e policiais militares na Casa de Privação Provisória de Liberdade Adalberto Leal, em Caucaia. A denúncia de tortura está sendo investigada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.