Acusado de matar vereador de Mangaratiba se entrega no Rio

Outros três homens já estavam presos pela morte de Célio Lopes, assassinado em junho de 2009

estadão.com.br,

12 de janeiro de 2012 | 19h20

SÃO PAULO - Um homem acusado de matar o vereador de Mangaratiba, na região da Costa Verde do Rio de Janeiro, em 2009, se entregou nesta quinta-feira, 12, ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Paracambi, na Baixada Fluminense.

Célio Lopes foi assassinado na madrugada de 2 de junho de 2009. Valdiclei e outros três homens, que já estão presos, foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por homicídio qualificado. O crime teria sido praticado porque o vereador ameaçou demitir o Guarda Municipal André Rodrigues, apontado como mandante do crime.

Valdiclei disse ter fugido para Minas Gerais logo após o crime. Ele afirmou que não queria passar a vida fugindo da polícia e queria "pagar pelo que tinha feito" para depois poder ficar mais próximo da família. O preso foi encaminhado para a 51ª DP (Paracambi), de onde seguirá para a Polinter.

De acordo com a denúncia, oferecida à Justiça pelo Gaeco em janeiro de 2010, Valdiclei teria sido contratado para executar o vereador por R$ 4 mil. Na época da prisão dos envolvidos, o Guarda Municipal também confessou o crime e o pagamento. A pena prevista para o crime de homicídio qualificado pode variar de 12 a 30 anos de prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.