Channel 9/AP
Channel 9/AP

Acusado de pedofilia, ministro de Finanças do Vaticano chega à Austrália

George Pell enfrenta múltiplas queixas de crimes sexuais no país; audiência do cardeal ocorre no dia 26, em Melbourne

O Estado de S.Paulo

10 Julho 2017 | 09h36

SYDNEY - Acusado na Austrália de múltiplos crimes sexuais, o cardeal George Pell chegou nesta segunda-feira, 10, a Sydney, antes de sua primeira audiência sobre o caso no final deste mês. O meio de comunicação australiano Nine Entertainment transmitiu um vídeo em que Pell sai rapidamente do aeroporto de Sydney na manhã desta segunda-feira.

A polícia australiana disse no mês passado que Pell, um importante assessor do papa Francisco, enfrenta múltiplas acusações de "crimes sexuais históricos", apresentadas por diversos denunciantes.

O cardeal, que é o ministro de Finanças do Vaticano, tornou-se a autoridade de cargo mais alto da igreja a enfrentar acusações desse tipo. Ele se declarou inocente e disse que voltaria para a Austrália para limpar seu nome.

A Arquidiocese Católica de Sydney disse nesta segunda-feira que o retorno de Pell "não deveria ser uma surpresa" porque ele já havia dito que voltaria para se defender contra as acusações. A entidade afirmou em comunicado que Pell "consultou seus médicos e com suas orientações tirou diversos dias para voltar para casa, quebrando sua viagem em diversos locais para evitar voos de longos trajetos".

Pell havia dito estar muito doente para voar para casa para testemunhar em uma investigação governamental sobre abuso infantil em 2016. O cardeal terá uma audiência em Melbourne, no dia 26. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
AustráliaVaticanoGeorge Pell

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.