Acusado pela morte de Tim Lopes queima mulher durante visita íntima

Ele jogou água quente na companheira durante visita no Complexo de Gericinó

Tiago Rogero, estadão.com.br

15 Julho 2011 | 15h21

RIO - Um dos acusados pela morte do jornalista Tim Lopes, em 2002, jogou água fervente na companheira durante uma visita íntima na quinta-feira no Instituto Penal Vicente Piragibe, onde está detido, no Complexo de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio. Cláudio Orlando do Nascimento, conhecido como Ratinho, cumpre pena de 23 anos e 6 meses pelo crime.

 

A ocorrência foi divulgada somente nesta sexta-feira, 15, pela secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). De acordo com a Seap, Fernanda Marins de Carvalho sofreu queimaduras pelo corpo e imediatamente foi encaminhada ao Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, também na zona oeste.

 

De acordo com a secretaria estadual de Saúde, ela foi atendida e recebeu alta ainda ontem. A Seap informou que instaurou sindicância interna para apurar o fato. "O interno teve o benefício de visita íntima cancelado e foi conduzido ao isolamento". O caso foi registrado na 34ª DP (Bangu).

 

O parceiro dele na tortura e assassinato do jornalista, Claudino dos Santos Coelho, o Xuxa, também foi condenado e cumpre pena no Rio. Eles foram sentenciados em 2008, seis anos após o crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.