Acusado tem prisão preventiva decretada

O desembargador Paulo de Tarso Neves, do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio, decretou na madrugada de ontem a prisão preventiva do motorista Roberto Costa Júnior, acusado de matar o empresário Arthur Antônio Sendas. O magistrado aceitou o recurso ajuizado pelo Ministério Público (MP) contra a decisão do juiz Wilson Marcelo Kozlowski Júnior, do 1º Tribunal do Júri da Capital, que aceitou a denúncia contra Costa, mas revogou sua prisão temporária. Kozlowski havia permitido que Costa respondesse em liberdade por considerar que ele se apresentou voluntariamente à polícia, não prejudicou as investigações, é réu primário e tem bons antecedentes.Para Neves, o motorista comportou-se como foragido. "Sua apresentação somente se verificou após a decretação da prisão temporária, reconheço, pois é público e notório, da enorme repercussão que o brutal homicídio alcançou. Portanto, o motivo de se assegurar a aplicação da lei penal se faz presente", afirmou em seu despacho, segundo o TJ. O MP acusa Costa de ter agido consciente e voluntariamente ao atirar contra Sendas, no dia 19.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.