Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Acusados confessam agressão a passageiros de trem no Rio

Três homens foram demitidos da SuperVia por terem dado socos e 'chicotadas' na estação de Madureira

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2009 | 14h01

Três agentes de controle da SuperVia confessaram nesta sexta-feira, 17, à Polícia Civil terem agredido passageiros na estação ferroviária de Madureira, na zona norte carioca, na quarta-feira, quando foram filmados por um cinegrafista da Rede Globo. Leonardo Leite de Paula, de 23 anos, Bruno do Espírito Santo de Castro Santos, também de 23, e Rodrigo Raposo Balduíno, de 28, foram indiciados pelos crimes de lesão corporal e constrangimento ilegal, cujas penas podem chegar a um ano de prisão.

Veja também:

linkMP quer que SuperVia pague R$ 1 mi por causa de ''chicotadas''

linkDepois de 4 dias, ferroviários encerram paralisação no Rio

linkSuperVia 'assume responsabilidade' por atos de violência no Rio

linkMinistro classifica agressão em trens do Rio de 'barbárie'

linkImagens mostram agentes agredindo passageiros

O delegado Eduardo Freitas fez um apelo para que outras vítimas do grupo se apresentem. Dependendo das lesões, a pena para os agentes podem dobrar. A MF Serviços, empresa que contratou os agentes, esclareceu que foram demitidos três funcionários, e não quatro, como divulgado inicialmente, porque pelas imagens percebeu-se que o quarto agente acusado na verdade tentava apartar a briga e não agrediu passageiros.

Durante os depoimentos, o delegado Freitas conseguiu identificar o homem à paisana que também aparece agredindo pessoas. É o agente Jorge Teles, que será intimado a depor na próxima semana. Ainda hoje, são esperados depoimentos de dois policiais militares que estavam de serviço na plataforma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.