Acusados da morte de calouro serão ouvidos

A juíza Maria Lucia Ribeiro de Castro Pizzotti Mendes, do 5º Tribunal do Juri, no fórum regional de Pinheiros, interrogará amanhã, a partir das 10h30, os quatro acusados de homicídio qualificado contra o calouro de medicina Edson Tsung Chi Hsueh, de 22 anos. Ele morreu afogado durante trote violento, na piscina da Associação Atlética da Faculdade de Medicina da USP, em fevereiro de l999. O corpo só foi encontrado no dia seguinte. A audiência será a portas fechadas, pois a juíza decretou segredo de Justiça. Serão interrogados os médicos Frederico Carlos Jana Neto, o Ceará, e Guilherme Novita Garcia que se formaram em 99; e os estudantes Luiz Eduardo Passarelli e Ari de Azevedo Marques Neto. A denúncia, formulada pela promotora Eliana Passarelli, sujeita os réus a pena variável de 12 a 30 anos de cadeia, em regime fechado, por homicídio doloso qualificado pelo emprego de meio cruel (afogamento). O advogado Guilherme Batochio, que defende Ceará, disse que na próxima semana impetrará habeas-corpus no Tribunal de Justiça. Vai pleitear o " trancamento" ( arquivamento) do processo, sob o fundamento " inépcia da denúncia" e " falta de justa causa". Se o pedido for concedido, os beneficios do habeas-corpus se estenderão aos três outros acusados, visto que a situação processual de todos é a mesma.

Agencia Estado,

15 de fevereiro de 2001 | 16h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.