Acusados de furtar BC em Fortaleza apresentam habeas corpus

Defesa dos irmãos alega que limite para encerramento do processo foi ultrapassado; prisão cautelar dura 3 anos

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

05 Janeiro 2010 | 15h23

Dois irmãos acusados de furtar o Banco Central em Fortaleza, em 2005, entraram com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF).

 

A defesa de Jeovan Laurindo da Costa e Raimundo Laurindo Barbosa Neto alega que o limite para o encerramento do processo foi ultrapassado. A prisão cautelar dos acusados dura mais de três anos e três meses.

 

Neto é apontado como um dos líderes da quadrilha que assaltou o banco. Ele foi preso em setembro de 2006, em Parnaíba (PI), durante a operação Facção Toupeira, da Polícia Federal (PF).

Mais conteúdo sobre:
Fortaleza

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.