Acusados de homicídio em boate de Goiânia vão a julgamento amanhã

Crime aconteceu em janeiro de 2009, quando quatro jovens se envolveram em briga que resultou em dois baleados, um de forma fatal

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

19 de maio de 2010 | 14h31

SÃO PAULO - O julgamento de dois dos quatro acusados de participar de uma briga na boate Santa Fé Hall, localizada no Setor Bueno, em Goiânia, em janeiro do ano passado, deixando um morto e um ferido, serão julgados a partir desta quinta-feira, 20.

 

O juiz Jesseir Coelho de Alcantara, da 13ª Vara Criminal de Goiânia, encaminhará ao 1º Tribunal do Júri, amanhã, às 8h30, Gedielson Rodrigues e Ocilmar Soares Eduardo, acusados como autor e partícipe do crime de homicídio, respectivamente, e tentativa de homicídio contra as vítimas, Higor Bruno Borges Esteves e Marcondes José da Silva, ambos de 23 anos.

 

No dia 11 de janeiro de 2009, por volta de 3h15, na boate Santa Fé Hall, os réus e também Fabiano Alves Néia e Jeferson Henrique Silva, com a intenção de matar, atiraram contra Higor Bruno, sem que o mesmo tivesse chance de defesa, resultando em lesões que causaram sua morte, e contra Marcondes da Silva, atingindo o abdômen.

 

Os acusados eram amigos e foram à boate Santa Fé Hall, lá se desentenderam, por causa de um esbarrão, com as vítimas. Fabiano Néia iniciou ameaças e xingamentos, e após sair do local continuou ameaçando e chamando Marcondes para brigar.

 

Após perceber a atitude do colega, Gedielson foi ao seu carro e pegou uma pistola. Já fora da boate, Higor começou a brigar com Fabiano, quando o viu partir para cima de Marcondes.

 

Depois, Ocilmar gritou para que Gedielson levasse a arma, e este chegou atirando contra a parede da boate, com a intenção de afugentar os curiosos. Ao mesmo tempo em que ele disparava a pistola, Ocilmar orientava a direção em que ele deveria atirar, apontando para as vítimas.

 

Gedeilson atirou em direção a Higor, que no momento já havia terminado a briga e corria para o estacionamento, e acertou sua cabeça de forma letal. Em seguida, efetuou vários disparos na direção de Marcondes, o atingindo de raspão.

 

Três dos quatro acusados de provocar a briga foram presos em flagrante. Ocilmar é hacker e era procurado pela Polícia Federal por falsificação de dinheiro. Gedielson tinha passagem na polícia por homicídio e tráfico de drogas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.