Acusados de matar perita do INSS vão a julgamento em Minas

Adolescente envolvido no crime já cumpre medida sócioeducativa em Teófilo Otoni

11 Julho 2007 | 18h11

Três acusados de participar do assassinato da médica perita do INSS, Maria Cristina de Souza, em setembro do ano passado, começaram a ser julgados nesta quarta-feira, 11, no Fórum de Governador Valadares, em Minas Gerais. Estarão sendo julgados o também médico perito do INSS, Milson Sousa Brige, o motorista aposentado José Alves de Souza e Ricardo Pereira dos Anjos. O outro envolvido no crime, um adolescente de 17 anos, não participa do julgamento, pois já cumpre medida socioeducativa em um centro de internação para menores em Teófilo Otoni, no Vale do Jequitinhonha. A previsão é de que o julgamento termine na tarde de quinta-feira, 12, se não for desmembrado, como tenta a defesa dos acusados. Dezoito testemunhas deverão ser ouvidas. A Justiça Federal solicitou apoio de policiais federais e militares para garantir a segurança durante a sessão. A chefe do serviço de perícia médica do INSS de Governador Valadares foi assassinada com três tiros, no dia 13 de setembro de 2006, na porta de casa. Em dezembro, o Ministério Público Federal denunciou o médico perito Milson Bridge por homicídio doloso duplamente qualificado. O perito, que estaria envolvido num esquema de concessão fraudulenta de benefícios previdenciários, é acusado de encomendar a morte da vítima porque se sentia ameaçado por Maria Cristina. Ela era a chefe do setor de perícias do INSS em Governador Valadares e estava investigando as irregularidades no setor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.