AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Acusados de tráfico são presos em operação internacional

Dez pessoas acusadas de fazerem parte de uma quadrilha internacional de tráfico de drogas foram presas na manhã desta terça-feira, 16, durante a operação Oceanos Gêmeos, desencadeada simultaneamente no Brasil e em outros seis países. Nove pessoas foram presas no Brasil e uma em Bogotá, na Colômbia. Também foram cumpridos 22 mandados de busca e apreensão. A operação tem participação de órgãos de várias cidades dos Estados Unidos, Colômbia, México, Equador, Venezuela e Panamá, com o objetivo de prender líderes de uma organização criminosa internacional.A quadrilha atua no tráfico internacional de entorpecentes, enviando cocaína estocada em depósitos da Colômbia e Venezuela para os mercados consumidores da América do Norte. O colombiano Pablo Joaquim Rayo Montano, que é o líder da quadrilha, vive em São Paulo, onde possui empresas que servem de fachada para esconder as atividades criminosas do grupo.InvestigaçõesSegundo as investigações da Polícia Federal, que começaram em março de 2005, as drogas eram levadas até os Estados Unidos, pelo mar. Com lanchas, os traficantes iam do Panamá ao Golfo do México, onde navios pesqueiros esperavam em locais determinados. Suspeita-se que os chefes da organização criminosa usariam o Brasil para lavar dinheiro do crime, através da compra de pedras preciosas, jóias, obras de arte e cavalos. Eles também teriam empresas de importação e exportação em nome de "laranjas" com o objetivo de dissimular o verdadeiro proprietário e ocultar os seus bens e valores, além de empresas de festas e eventos. Os presos até o momento em São Paulo são Pablo Joaquim Rayo Montano, Elizabeth Manrique Albear, Miguel Felmanas, Mira Friedberg Felmanas, Mônica Felmanas, Márcia Felmanas, Marcelo Felmanas, Eduardo Alfredo Bozza Haddad e Reinaldo Abramovay. Jackson Orozco Gil foi preso em Bogotá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.