Arquivo/AE
Arquivo/AE

Acusados por Guaíra são condenados a 348 anos de prisão

Chacina deixou 15 mortos no oeste do Paraná, em setembro de 2008; reús não negaram autoria dos crimes

Evandro Fadel, de O Estado de S. Paulo,

10 Novembro 2009 | 17h34

Cada um dos três acusados da chacina que deixou 15 mortos e oito feridos em Guaíra, no oeste do Paraná, foi condenado a 348 anos de prisão, em julgamento que terminou nesta terça-feira, 10. Os réus - Jair Correia, Ademar Fernando Luiz e Fabiano Alves de Andrade - não negaram a autoria do crime, que aconteceu em 22 de setembro de 2008 e chocou o País.

 

Veja também:

linkA crônica da chacina em Guaíra

linkGaleria traz fotos de Guaíra mais imagens

linkOuça o relato do repórter Bruno Paes Manso som

linkOuça o relato do fotógrafo Tiago Queiroz som

linkTodas as notícias sobre a chacina   

 

O juiz Wendel Fernando Brunieri leu a sentença por volta das 16 horas. "Foi um crime singular, uma condenação exemplar, à altura da barbaridade cometida", disse o promotor de Justiça Marcos Cristiano Andrade. "A chacina foi uma mancha na história do Paraná e a condenação dos réus vem minimizar essa mácula." O promotor conseguiu convencer os jurados de que cada um dos acusados foi responsável por cada uma das 15 mortes triplamente qualificadas e pelas oito tentativas de homicídio.

 

Segundo as investigações, as mortes ocorreram por vingança, decorrente de dívidas do narcotráfico. O local do crime foi uma chácara às margens do Lago de Itaipu, que seria propriedade de Jossimar Marques Soares, conhecido como Polaco e apontado como chefe de uma quadrilha de narcotraficantes rival à de Correia.

 

Alguns dias antes da chacina, por ordem de Polaco, teria sido morto Dirceu de Souza Pereira, supostamente por não ter pago uma carga de maconha. Pereira era enteado de Correia, que se juntou aos outros acusados para matar Polaco e dois suspeitos de serem os executores da morte.

 

Ao chegar à chácara, eles teriam obrigado Polaco a chamar os dois. Mas outras pessoas chegaram ao local e, no final, 15 foram executadas, oito saíram com ferimentos e três fugiram ilesas. Pelas investigações, a operação toda demorou cerca de cinco horas. Depois, os três acusados fugiram em um barco pelo Lago de Itaipu. Do outro lado, eles se separaram.

 

Correia foi preso em 15 de outubro do ano passado em Rosana, no interior de São Paulo. Luiz foi encontrado em Lucas do Rio Verde (MT) em 21 de outubro e Andrade, em Itaquiraí (MS), no dia 24 de outubro.

Mais conteúdo sobre:
chacina Guaíra

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.