Adolescente atira em colega de classe em escola no Rio

A manhã desta quarta-feira, 26, foi de tristeza para alunos e funcionários da Escola Municipal Belmiro Medeiros, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio. O que era para ser um mero intervalo entre duas aulas se transformou em tragédia, quando um aluno de 14 anos atirou na cabeça de um colega da mesma idade, que está internado em estado grave. Tudo indica que o disparo tenha sido acidental, segundo investigação preliminar da polícia. O estudante Vitor Sampaio Crisóstimo da Silva da 6ª série, estava na sala com sete colegas, por volta das 9 horas. Um outro aluno, que havia levado um revólver calibre 38 dentro da mochila, colocou a arma em cima da mesa e a mostrou para Vitor e outros garotos. Não se sabe exatamente como, mas a arma foi disparada e uma bala atingiu a testa de Vitor, que foi levado para o Hospital Paulino Werneck, na Ilha. Como lá não havia atendimento de emergência, ele foi transferido para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, num helicóptero. Seu estado é gravíssimo. O adolescente respira com auxílio de aparelhos. Mães e alunos apavoradosA notícia deixou apavoradas as mães de outros alunos, que correram para buscar seus filhos. As crianças foram liberadas mais cedo pela direção. "A gente não consegue ficar tranqüila sabendo que tem aluno armado na sala", disse uma mulher, mãe de dois meninos, de 10 e 12 anos. A mãe de Vitor foi avisada pela escola do que acontecera e ficou em estado de choque. Ela foi imediatamente para o colégio, onde chegou chorando muito.Duas meninas que estavam na sala e presenciaram tudo ficaram muito nervosas e foram hospitalizadas. Uma delas está grávida e precisou de cuidados especiais. Alunos que testemunharam o incidente foram chamados à delegacia da Ilha para prestar depoimento. O garoto que disparou o revólver foi encaminhado para a delegacia da Ilha, onde foi ouvido. Ele contou que a arma era de um amigo e que a levou para o colégio para mostrá-la aos colegas. Segundo a Polícia Militar, o caso será avaliado pelo Conselho Tutelar, que decidirá se o menino será encaminhado a uma instituição para menores. A Secretaria Municipal de Educação abriu sindicância para apurar responsabilidades pelo ocorrido. A investigação interna tem de ser concluída em até 45 dias.O órgão informou que a família de Vitor é de Saquarema, na Região dos Lagos. Ele estudava num colégio de lá e foi transferido para a escola da Ilha há apenas duas semanas. Seiscentos alunos estudam na Belmiro Medeiros, da Educação Infantil à 8ª série.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.