AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Adolescente é morta por incomodar vizinho

Um tiro de espingarda de caça matou a estudante Daniela de Gouvêa Lins, de 14 anos, atingida no pescoço na noite de ontem, enquanto conversava com duas amigas no Conjunto Habitacional Cem, no Engenho da Rainha, zona norte, onde morava. O autor do disparo foi o desenhista aposentado Ahil Neves Nesta, de 72, vizinho da menina. A causa do crime: o barulho que as adolescentes faziam, perto da janela do aposentado.A morte causou revolta e comoção na comunidade, que por pouco não linchou o agressor. No Instituto Médico Legal, onde aguardava a liberação do corpo da filha, Maria Salete de Gouvêa desabafou: "Ele é um animal, que tem uma arma de caça em casa e atira em crianças. É um monstro. Até o meu último suspiro não vou me esquecer da minha filha única, ali, no chão. Minha vida acabou". Em casa, José Lins, pai de Daniela, tentava repousar, sob o efeito de sedativos. Há quinze anos, o casal perdeu outra filha, aos sete meses de idade, com meningite.Detido pelo motorista Sílvio Ferreira, de 38 anos, que ouviu o tiro e viu a menina ferida, Nesta foi preso em flagrante, com uma cápsula de munição no bolso. "Vi que ele estava se dirigindo para o lado oposto da multidão e suspeitei. Perguntei aonde ele ia e ele disse que ia comprar abacates. Ele estava frio, como se nada tivesse acontecido". A arma do crime foi encontrada escondida no seu prédio. Na manhã de hoje, ele foi para o Hospital Salgado Filho, com dores no peito. Depois de medicado, foi para a 26.ª DP, onde está preso. Moradores temem que, por causa da idade, acabe sendo solto. De acordo com os moradores, o aposentado ameaçava constantemente crianças que brincavam perto de sua janela, área onde há um escorrega.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.