Adolescente é morto em delegacia de Manaus

O adolescente José Kelson de Souza Castro, de 16 anos, foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira na sala de interrogatório do 14º Distrito Policial, no bairro João Paulo, em Manaus. O corpo apresentava hematomas e sinais de tortura. O delegado-geral da Polícia Civil, Francisco Sobrinho, anunciou que vai instaurar inquérito policial e abrir sindicância interna para apurar o caso.Nesta quinta, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), Olympio de Moraes Júnior disse que vai acompanhar de perto o inquérito. O deputado Mário Frota (PDT), presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Amazonas, prometeu dar toda a assistência à família do adolescente. "É uma vergonha para a Polícia e o Estado um adolescente ser encontrado morto em uma delegacia com sinais de tortura", disse.Castro foi preso por volta das 23h de terça-feira. Segundo sua mãe, Izanira de Souza Castro, o menor estava em perfeitas condições de saúde. Ela afirma que ele vinha sofrendo perseguição sistemática de dois policiais militares, identificados apenas como "Baiano" e "Maicon". "Eles queriam que meu filho denunciasse os chefes de uma boca-de-fumo no nosso bairro. Ele se recusou e foi perseguido e morto", denunciou.O delegado Carlos Honório da Silva disse que o menor chegou à 14ª DP depois de ser salvo de um linchamento, pois fora surpreendido roubando um rádio de carro. Mas não soube explicar porque o rapaz foi levado para a delegacia em vez de ser encaminhado à Delegacia Especializada de Apoio e Proteção a Criança e ao Adolescente (Deapca). A entrada do menor não foi registrada no livro de ocorrências. O corpo do menor foi encontrado por uma tia, às 7h, quando levava o café da manhã.

Agencia Estado,

02 de abril de 2004 | 05h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.