Adolescente ferida em ônibus incendiado em Porto Alegre recebe alta

Uma adolescente de 13 anos deixou o Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre depois de passar 42 dias internada em tratamento para queimaduras de segundo e terceiro graus sofridas durante o incêndio de um ônibus, em Rio Grande, na zona sul do Rio Grande do Sul. Ela passou por seis cirurgias, até receber alta, na tarde de ontem. O acidente ocorreu em 9 de janeiro. A garota estava passando férias na casa de uma tia e voltava de um passeio ao centro da cidade num ônibus da empresa União Cotista que pegou fogo e foi consumido pelas chamas em poucos minutos. Desmaiada, ela foi socorrida pelo motorista Alexandre Hernandes, que também caiu em meio às chamas, e resgatada por um desconhecido. Dos 28 feridos, Hernandes é o único que continua no hospital. A perícia concluiu que o fogo foi provocado pela explosão de uma lata de tíner colocada sob o banco do motorista. A Polícia Civil indiciou Hernandes, o fiscal Jorge Pacheco, a encarregada de compras Cláudia Silveira e o sócio-gerente da empresa, Norli Camilo, por incêndio culposo, já que o transporte de solventes não poderia ser feito em veículo de passageiros. Se condenados pela Justiça, eles podem pegar de seis meses a dois anos de prisão.

Agencia Estado,

21 Fevereiro 2006 | 15h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.