Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Adolescente morre soterrada após desabamento de casa no Rio

Apesar da chuva, autoridades acreditam que a estrutura do imóvel na zona oeste já estava danificada

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2011 | 12h50

RIO - Uma adolescente de 16 anos morreu soterrada no desabamento de uma casa na comunidade Gardênia Azul, na zona oeste do Rio. O sobrado veio abaixo no início da manhã desta quarta-feira, 28. Três pessoas - o pai da adolescente, uma irmã e uma amiga da família - escaparam com vida.

O Centro de Operações Rio, órgão de monitoramento da prefeitura, entrou em estado de atenção por causa das chuvas às 7h20. A casa veio abaixo quarenta minutos depois. Naquela região, choveu 16,8 milímetros em 24 horas - o que não é considerado temporal. A avaliação dos engenheiros da Defesa Civil é de que houve infiltração na estrutura do imóvel, uma construção precária de mais de 30 anos.

O catador Aloísio Leite da Silva, de 62 anos, acordou com o estrondo. Ele e Ana Cristina Campos da Silva, de 29 anos, e uma amiga dela conseguiram deixar o imóvel. Débora Leite dos Santos da Silva, de 16 anos, estava no andar inferior e foi atingida pela ponta da laje. Às 11h05, os bombeiros que atuavam no resgate declararam a menina morta. O corpo foi retirado 40 minutos depois.

Dez casas nas redondezas foram interditadas. A Defesa Civil avalia se as residências foram afetadas pelo desabamento.

Região serrana. Em Teresópolis, também choveu forte. A Defesa Civil do município registrou deslizamentos, queda de muros e alagamento no bairro Canoas, mas nenhuma ocorrência grave. Engenheiros vistoriaram uma ponte no bairro Imbuí, mas não houve comprometimento da estrutura.

Mais conteúdo sobre:
desabamentomorteRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.