Adolescente simula seqüestro no interior de SP

O seqüestro da estudante C.C.K.,de 16 anos, que desde a noite de sábado mobilizava a polícia daregião de Sorocaba, a 92 quilômetros de SP, não passou de umasimulação. A garota contou com a ajuda de uma irmã de 12 anospara a farsa. A menina havia dito à polícia que ela e a irmãmais velha tinham sido rendidas por dois homens armados naregião central de Salto de Pirapora, cidade onde moram. A garotamais nova teria sido libertada minutos depois com um bilhete noqual os supostos seqüestradores pediam à família que aguardassemum contato. Ameaçavam ainda matar a refém se a polícia fosseavisada. Um telefonema chegou a ser dado na manhã seguinte comum pedido de resgate. Na verdade, C. pretendia conseguir dinheiro do pai, umcomerciante local, que é separado da mulher. Depois de simular oseqüestro, ela tomou um taxi e foi dormir em um hotel emVotorantim, cidade próxima. Os policiais de Salto de Piraporapediram ajuda à Delegacia Anti-Seqüestro de Sorocaba. a políciainterceptou um telefonema dos supostos seqüestradores à família.No início da tarde de hoje a própria C. ligou para os familiaresdizendo que tinha sido libertada. Os policiais desconfiaram dahistória, e C. acabou confessando a simulação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.