Adolescente simulou o próprio seqüestro

No início da noite de ontem, a polícia de Ribeirão Preto concluiu as investigações e divulgou que o adolescente A.S.R., de 16 anos, de origem humilde, simulou o próprio seqüestro para chamar a atenção dos familiares. Ele não foi abordado por quatro homens e libertado sem o pagamento do resgate, como havia dito, mas foi de ônibus a Franca e telefonou, disfarçando a voz, pedindo R$ 50 mil de resgate, além de rasgar as próprias roupas."Ele disse que tinha recebido uma coronhada na cabeça, mas não apresentava hematomas", explicou Odacir Cesário da Silva, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e interino da Delegacia Seccional. "Ele necessita de cuidados psicológicos", acrescentou Silva.Ao tentar manter a farsa, o menor chorou e caiu em contradições. "Não foi dessa vez que houve seqüestro em Ribeirão Preto", disse o delegado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.