EVARISTO SA / AFP
EVARISTO SA / AFP

Advogada diz que foi abusada por médium na frente do pai

Depoimento foi dado no programa Fantástico, da TV Globo

O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2018 | 23h47

SÃO PAULO - Uma advogada relatou ao programa Fantástico, da TV Globo, que foi abusada pelo médium João de Deus em 2008, na presença do pai, em Abadiânia. Camila Ribeiro, de 26 anos, disse que o crime teria ocorrido em uma sala no centro do médium, e seu pai não pode ajudá-la porque João de Deus pediu que ele ficasse de costas, com os olhos fechados e rezando. Ela tinha ido ao centro para buscar cura para uma síndrome do pânico.

"Falou comigo que eu ia ser curada. Que era pra eu rezar. Eu fiz isso e ele começou a passar a mão em mim. Passou no meu peito, na minha vagina, no meu bumbum. E eu tava confusa, sabe, eu não tava entendendo. Eu chorava muito. E ele falou assim: 'calma, isso faz parte do tratamento, isso faz parte da cura'". Segundo o Fantástico, ela foi uma das primeiras mulheres a procurar a Justiça para denunciar o médium. A decisão saiu em 2013, absolvendo João de Deus da acusação. O processo foi arquivado.

O Fantástico também apresentou relatos dos filhos do médium. Uma delas, a dona de casa Dalva Teixeira de Souza, afirmou que o pai é "maquiavélico". "Um homem que roubou minha vida, minha infância, meus filhos", disse, na entrevista. Outra filha, a funcionária pública Cynthia de Faria, diz que o pai é vítima. "Estão fazendo complô contra ele. Uma pessoa que faz tanto o bem, de repente vira um monstro dessa forma. Eu não acredito."

O advogado do médium, Ronivan Peixoto, afirmou ao programa que as declarações da filha que acusa João de Deus são falsas. "Eu posso te afirmar categoricamente que nada disso existiu. Isso tudo é fruto da imaginação, ganância, diversos outros fatores alheios a esse fato em si."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.