Advogada é seqüestrada e morta por ex-funcionário em Cotia

A advogada Maria Luiza Machado, de 41 anos, foi seqüestrada e morta por um ex-funcionário no início deste final de semana na cidade de Cotia, onde sua família reside. Na última quinta-feira, ela foi seqüestrada em seu Fiat Pálio ELX preto, placas DBN 9176/Cotia. O seqüestrador, cujo nome ainda não foi divulgado pela equipe da Delegacia Anti-Seqüestro de Carapicuíba, foi detido no início da madrugada deste domingo no local onde marcou o encontro com a família da vítima, da qual ele havia exigido um valor exorbitante para o resgate.A estratégia dos agentes da DAS foi sugerir à família que marcasse o encontro com o seqüestrador para que o valor (mesmo não arrecadado) fosse pago. Preso pelos policiais civis no momento em que pensava que iria receber o dinheiro do resgate das mãos dos parentes da advogada, o bandido confessou que já havia matado a ex-patroa e que o corpo estaria enterrado em uma vala no interior do residencial Recanto Verde, próximo ao km 39 da Rodovia Raposo Tavares, em Cotia.Homens do 18º Grupamento dos Bombeiros foram acionados pela Delegacia Seccional de Carapicuíba para a retirada do corpo da advogada. Ontem, pela manhã, após uma denúncia anônima, o veículo da vítima já havia sido localizado na Avenida Santo Antônio, nº 168, no bairro do Portão, em Cotia, em frente à suposta casa do ex-funcionário e assassino de Maria Luiza Machado. O corpo da advogada foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Cotia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.