Advogada suspeita de ligação com crime organizado volta a trabalhar

Suspeita de ligações com o crime organizado, a advogada Adriana Telini Pedro, de 29 anos, de Franca, na região de Ribeirão Preto, voltou ao trabalho nesta segunda-feira, 25, após o cumprimento de 90 dias de suspensão de suas atividades. A suspensão preventiva foi determinada pelo Tribunal de Ética e Disciplina, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em junho. No dia 15 deste mês, o mesmo tribunal a suspendeu por um ano. Porém, quando foi comunicada da decisão, a sua defesa entrou com recurso na seccional da OAB, em São Paulo, ato que já tem efeito suspensivo. Assim, Adriana poderá trabalhar normalmente até o julgamento do recurso. A advogada é suspeita de formação de quadrilha e associação ao tráfico de drogas. Em 2005, ela foi flagrada, em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, quando tentava ajudar num assalto, dar cobertura a um fugitivo e também tentar localizar uma porção de maconha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.