AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Advogado acusado de assassinato é preso no Rio

Policiais civis prenderam hoje o advogado Jorge Alberto Leandro, de 32 anos, suspeito de ter assassinado uma mulher em 16 de abril deste ano. Ele foi preso no escritório do pai, no centro da cidade, mas a polícia tinha também um mandado de busca para o seu apartamento, em Ipanema, zona sul. Lá, os policiais encontraram um fuzil, munição e material de tortura. Além disso, foram apreendidas duas granadas e um lança-rojão, artefatos de uso exclusivo do exército. Oliveira estava sendo investigado desde o assassinato de Viviane de Barros Ananias, de 26 anos. Ela seria funcionária da concessionária Carfácil, cuja proprietária é a noiva do advogado. A polícia suspeita que o motivo do crime seja o envolvimento de Oliveira com Viviane, que estava grávida de oito meses. Segundo o inspetor Hélder Sarmento, que investiga o caso, o advogado já foi oficial temporário do Exército, em 1990. "Isso não o isenta do crime de armazenar em sua casa material explosivo, ainda mais se é de uso privativo das Forças Armadas", disse Sarmento. Na delegacia, Oliveira, que não tem antecedentes criminais, não deu declarações. "Ele não quer falar. Disse que só fala na presença do juiz", informou o inspetor. O advogado será julgado por homicídio e a polícia ainda vai decidir se ele terá que responder pelo crime de ter escondido em sua casa material do Exército.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.