Advogado de Bruno será julgado pela OAB; colega assume defesa

Ércio Quaresma foi acusado de ameaças para que o jogador não o substituísse; advogado de Macarrão passa a fazer defesa do goleiro

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

22 Novembro 2010 | 16h37

BELO HORIZONTE - A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Minas Gerais, marcou nesta segunda-feira, 22, o julgamento do advogado Ércio Quaresma Firpe, que defende o goleiro Bruno Fernandes no julgamento pelo sequestro e assassinato da ex-amante do atleta, Eliza Samudio.

Por isso, o advogado paranaense Claudio Dalledone Junior, que trabalha na defesa de Macarrão, afirmou que foi convidado por Bruno para assumir sua defesa. 

 

Veja também

trailer Confira vídeo onde advogado aparece consumindo droga

 

Quaresma será julgado, em sigilo, pelo Tribunal de Ética e Disciplina da entidade no próximo dia 30. O advogado foi acusado por familiares e pela noiva de Bruno, a dentista Ingrid Oliveira, de ameaças para que o jogador não trocasse de defensor. Além disso, Quaresma também assumiu ser viciado em crack e na semana passada apareceu em um vídeo amador usando a droga em uma boca-de-fumo de Belo Horizonte.

 

Durante todo a investigação sobre o desaparecimento de Eliza e o julgamento sumário do caso - cuja sentença ainda não foi proferida pela juíza Marixa Fabiane Lopes -, o advogado ficou no centro de várias polêmicas por causa de várias declarações.

 

Ele teve diversas discussões com os policiais responsáveis pelas investigações e, nas audiências judiciais, chegou a ser advertido por Marixa por dormir e roncar no Tribunal do Júri do fórum de Contagem, na região metropolitana da capital mineira, enquanto seu cliente prestava depoimento. A família de Bruno, inclusive, já teria procurado outro defensor para o goleiro, apesar de a troca não ter sido realizada.

 

No dia 30, a OAB pode decidir pela suspensão preventiva de Quaresma, com base no parágrafo 3º do artigo 70 do Estatuto do Advogado. O texto prevê o afastamento em caso "de repercussão prejudicial à dignidade da advocacia" e o julgamento será realizado com ou sem a presença de Quaresma.

 

O estatuto determina também que o procedimento deve ser concluído em no máximo 90 dias. O Estado tentou falar com Quaresma hoje, mas ele não foi localizado. A informação é de que ele estaria em Maceió (AL) para acompanhar trabalhos do perito criminal George Sanguinetti, contratado para auxiliar na defesa de Bruno em uma investigação paralela à realizada pela polícia.

 

Mudança. Dalledone já defende o braço direito do goleiro, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, deve assumir a defesa de Bruno, mas disse que cuidará apenas do atleta caso a substituição de Quaresma seja confirmada. Hoje, no acompanhamento de processos do Tribunal de Justiça, constava apenas Ércio Quaresma como advogado de Bruno, apesar de haver um pedido de substabelecimento - nomeação de outro advogado - na ação.

 

Atualizado às 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.