Advogado do ex-goleiro Bruno admite morte de Eliza

Declaração faz parte de uma nova estratégia adotada pela defesa no julgamento do caso

estadão.com.br

12 Março 2012 | 08h35

SÃO PAULO - O advogado do goleiro Bruno Fernandes, Rui Caldas Pimenta, vai usar nova estratégia para a defesa de seu cliente, acusado de matar a ex-companheira, Eliza Samudio, em 2010. De acordo com informações do jornal Bom dia Brasil, da TV Globo, a estratégia de defesa do atleta no julgamento vai admitir a morte de Eliza.

A tese é diferente da sustentada por outros defensores que já passaram pelo caso. A defesa do ex-goleiro do Flamengo sustentava que Eliza estava viva, já que o corpo nunca foi encontrado. De acordo com Pimenta, a tese de que "sem corpo não há materialidade" está incorreta.

Ainda de acordo com o advogado, a decisão de matar a jovem teria partido do amigo do goleiro, Luiz Henrique Romão, o Macarrão. Bruno e mais sete são réus no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza.

Mais conteúdo sobre:
Caso BrunoElisa Samudio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.