Advogado do proprietário da boate de Santa Maria também culpa Bombeiros

'O trabalho de salvamento dos bombeiros foi desastroso', disse Jairo Marques

Diego Zanchetta, Enviado especial,

30 Janeiro 2013 | 16h50

SANTA MARIA - Jairo Marques, advogado de defesa do proprietário da boate Kiss, também culpou o Corpo de Bombeiros pela tragédia que deixou 235 mortos em Santa Maria. Ele afirma que os Bombeiros pediram ajuda para pessoas que estavam na rua e que a primeira ligação para relatar o incêndio não foi atendida, por volta das 3 horas.

"O trabalho de salvamento dos bombeiros foi desastroso. Não tinham equipamentos adequados nem treinamento. Não tinham máscaras para entrar na boate e salvar as pessoas da fumaça tóxica e ficaram pedindo ajuda para civis na rua", apontou o advogado. "Eles ainda jogaram um jato d'água na rota de saída das pessoas e isso pode ter feito com que elas se dirigissem para o outro lado", acrescentou.

Marques disse que a boate "tinha plena condições de funcionamento e que o dono não sabia da apresentação com sinalizadores da banda. "Aquilo foi uma surpresa, para causar frisson", afirmou o advogado. Ele também criticou o projeto de isolamento acústico indicado pelo Ministério Público Estadual em julho de 2012. "Os vizinhos continuaram reclamando, a espuma só foi colocada pela ineficiência do termo de ajustamento de conduta com os promotores", argumentou.

Mais conteúdo sobre:
Santa MariaKissincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.