Advogado e investigadores são presos por extorsão

Dois investigadores da Polícia Civil de Ribeirão Preto e um advogado, que não tiveram seus nomes divulgados, foram presos na tarde da última segunda-feira, 21, acusados de concussão - crime de extorsão praticado por funcionário público. Os três teriam planejado extorquir R$ 3 mil de um homem, morador do Parque São Sebastião, para evitar que fosse denunciado por um suposto furto de rolos de fios de cobre, um crime comum ultimamente em Ribeirão. O delegado seccional Benedito Antônio Valencise disse que as provas contra os três são incontestáveis.O caso de extorsão teria começado uma semana antes, quando os policiais, funcionários da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise), trabalhavam no bairro do morador e viram um rolo de fios de cobre no quintal. Eles pediram R$ 3 mil para não acusar e prender o morador por furto. Assustado, ele prometeu arrumar o dinheiro e fazer o pagamento. Porém, procurou um advogado, que levou o caso à Corregedoria da Polícia Civil. Então, o flagrante foi armado na tarde de segunda. Quem foi buscar o dinheiro no escritório do advogado da suposta vítima foi um advogado e não os policiais.O promotor Luiz Henrique Pacini Costa acompanhou os depoimentos após o flagrante e elogiou a atitude da Polícia Civil. Valencise disse que existem provas e documentos que asseguram as acusações. O advogado Belarmino Gregório Santana, pai do advogado detido, alegou que o filho foi vítima de armação da polícia. O advogado foi levado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) do município, enquanto os investigadores foram encaminhados ao presídio da Polícia Civil, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.