Advogado é preso em agência do INSS oferecendo propina

Câmeras instaladas pela Polícia Federal no interior de uma agência bancária do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, flagraram, na tarde de ontem, o advogado José Carlos Ramos, de 48 anos, oferecendo propina a uma das funcionárias para que ela transformasse certidões positivas de débito de empresas do ramo da construção civil em certidões negativas. A fraude renderia à funcionária 20% do valor que o advogado cobraria de seus clientes, empresas que devem ao INSS. "O som está nítido e a imagem está clara; ele realmente ofereceu o dinheiro para a funcionária, que recusou e acionou os nossos agentes", disse o delegado Wágner Castilho, da Polícia Federal. Agentes da Força-tarefa, que investigam o processo de fraudes contra o INSS, encaminharam o advogado à sede da PF, na Lapa, zona Oeste da capital, onde Ramos foi indiciado por corrupção ativa tentada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.