Advogado nega que decisão signifique suspensão da lei

O advogado do senador Heráclito Fortes (DEM-PI), Felipe Cascaes Sabino Bresciani, afirmou que não houve suspensão da aplicação da Lei da Ficha Limpa no caso do senador. Segundo ele, o pedido ao STF, que há mais de dez anos analisa o processo, era para que não pairasse nenhuma dúvida sobre o registro de sua candidatura. A iniciativa, diz, foi baseada na própria lei, que prevê a possibilidade de concessão de efeito suspensivo pelo tribunal.

, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2010 | 00h00

"Foi uma ação preventiva para evitar uso político de uma ação que começou há quase 20 anos." Ele afirma que a sentença não previu suspensão dos direitos políticos do senador. Como a questão estava sob análise do STF desde 2000, com julgamento suspenso por pedido de vista no ano passado, Heráclito utilizou-se de um artigo da Lei da Ficha Limpa para que sua situação ficasse definida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.