Advogado vê ação política em blitz na casa de Netinho

Investigado pela Polícia Civil e pela Justiça por suposta fraude na declaração de bens ao Tribunal Superior Eleitoral, o candidato do PC do B ao Senado, Netinho de Paula, protestou ontem contra a ação policial na casa dele. "São Paulo vive um "estado de sítio, a polícia age como quiser", protestou, durante comício em São Bernardo, no ABC. Segundo o advogado de Netinho, Alexandre Rollo, a busca policial na casa do candidato, no condomínio Alphaville 8, terça-feira, foi motivada por interesses políticos.

Adriana Carranca, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2010 | 00h00

Rollo entrou com representação na Corregedoria da Polícia Civil pedindo a apuração sobre a conduta dos policiais e também com um pedido de providências na procuradoria eleitoral contra a promotora eleitoral da 386ª zona, Bárbara Valéria Cury e Cury, responsável pela abertura da investigação criminal.

"Além de a diligência ter sido esdrúxula, quem tem competência para investigar eventual crime eleitoral é a Polícia Federal. Portanto, a promotora errou ao encaminhar o caso para a Polícia Civil", disse o advogado. Ele atribuiu o caso a interesses políticos. "A dois dias da eleição é claro que o que estão tentando fazer é prejudicar a candidatura de Netinho". O candidato do PC do B lidera as pesquisas de intenção de voto ao Senado, segundo as últimas pesquisas. A presidente do PC do B em São Paulo, Nádia Campeão, também falou em motivação eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.