Advogados acusados de ligação com PCC vão depor à CPI

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Armas ouvirá nesta terça e quarta-feira os advogados acusados de ligação com o crime organizado, Nelson Roberto Vinha, Eduardo Diamante, Libânia Catarina Fernandes, Valéria Dammous e Adriana Telini Pedro. De acordo com a Agência Câmara, a CPI também ouvirá o promotor de Justiça do Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado de Presidente Prudente, Márcio Kuhne Prado Júnior, um dos responsáveis pela denúncia feita pelo Ministério Público contra os advogados.Segundo a Agência, a advogada Adriana Telini Pedro, que será ouvida nesta terça, a partir das 14 horas, foi flagrada, por meio de escutas telefônicas, orientando um detento da unidade de Valparaíso, interior de São Paulo, a roubar clientes seus que haviam acabado de receber grandes quantias em dinheiro. Ela responde a dois processos e foi indiciada por associação ao tráfico.Os demais advogados e o promotor Márcio Kuhne serão ouvidos na quarta-feira, também a partir das 14 horas. Nelson Roberto Vinha foi preso no último dia 27 sob acusação de entrar com seis celulares e carregadores de bateria no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá, na Grande São Paulo.Libânia Catarina Fernandes Costa, Eduardo Diamante e Valéria Dammous, também presos no mês passado, são acusados de dar apoio à organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), repassando informações privilegiadas aos líderes e atuando como pombos correios na comunicação entre presos e criminosos soltos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.