Advogados do goleiro Bruno têm até esta quinta-feira para apresentar defesa

Além do ex-atleta do Flamengo, outras sete pessoas são acusadas de homicídio triplamente qualificado; Eliza Samudio está desaparecida desde 10 de junho, quando teria sido morta

Julia Baptista, do estadão.com.br,

19 de agosto de 2010 | 12h09

Os advogados do goleiro Bruno Fernandes têm até esta quinta-feira, 19, para apresentar à juíza Marixa Fabiane Lopes, do 1º Tribunal do Júri do Fórum de Contagem, a defesa prévia e arrolar as testemunhas no processo da morte de Eliza Samudio. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG). Até as 11h30 de hoje, a defesa não havia apresentado os documentos. No escritório do advogado Ércio Quaresma, a informação é que ele "não vai atender ninguém porque está correndo atrás do tempo para entregar a defesa ainda hoje".

 

Além de Bruno Fernandes, outras sete pessoas são acusadas de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menores, sequestro e cárcere privado. O ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, apontado pela polícia como responsável pela execução de Eliza, foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. J., primo do atleta de 17 anos, teve representação encaminhada à Justiça, com pedido de internação por até três anos, mas ainda não há decisão.

 

Eliza está desaparecida desde 10 de junho, quando teria sido morta. Conforme a acusação, ela foi sequestrada em 4 de junho por Macarrão e pelo menor em um hotel no Rio e mantida em cárcere privado na casa do goleiro. Em seguida, foi levada para o sítio do goleiro em Esmeraldas, na Grande Belo Horizonte, onde também foi mantida presa até ser levada à casa de Bola para ser executada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.